e Vanille Goovaerts

DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA

Duo composto pela francesa Vanille Goovaerts (violino, rabeca e voz) e pelo brasileiro Ricardo Herz (violino e rabeca). No espetáculo os dois tocam um repertório que vai de composições próprias (dos dois) a clássicos do choro, valsa francesa, forrós, xote e muito mais, se alternando entre violinos, rabecas e canto. É um show vibrante, cheio de ritmo, improvisação e lirismo.

Vanille Goovaerts

No Brasil desde 2019, a violinista e rabequeira francesa Vanille Goovaerts é formada em jazz pelo conservatório de Chambéry (França). Participou de diversos festivais de jazz (Off Jazz à Vienne, Voiron Jazz Festival, etc) e, como improvisadora, costuma também colaborar com outras artes. Venceu em 2018 e 2019 o concurso de improvisação dança/musica de ViF (França).

Apaixonada pelo forró, o que a leva a viajar pelo Nordeste desde 2018, começa a aprender a rabeca com o mestre Luiz Paixão e pesquisa a música brasileira com os músicos de Olinda. A expressão e o compartilhamento é o que Vanille procura na música. Esse tipo de encontro musical foi o que a levou à música brasileira.

Atualmente Vanille reside em São Paulo, estudando música brasileira com músicos populares como Ricardo Herz e Fábio Peron. Em seu trabalho autoral, ouvimos todas suas influências musicais. Esse duo com o Ricardo Herz lhe permite expressar sua paixão pelo violino e a rabeca, tendo encontrado em Herz um parceiro que tem uma sensibilidade musical extremamente compatível.

Sobre Ricardo Herz:
Herz reinventou o violino. Sua técnica leva ao instrumento o resfolego da sanfona, o ronco da rabeca e as belas melodias do choro tradicional e moderno. Com a influência de Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti, Jacob do Bandolim entre outros, o violinista mistura ritmos brasileiros, africanos e o sentido de improvisação do jazz mostrando a influência dos 9 anos em que viveu na França. Dali levou sua música para os 4 cantos do mundo: tocou em Festivais na Malásia, no México, na Holanda, em clubes de Jazz na Rússia, em Israel, na Dinamarca e gravou com músicos de diversos países.

Graduado em violino erudito pela USP, sua sólida formação começou aos 6 anos, tendo passado pela escola Fukuda em São Paulo.  Estudou na renomada Berklee College of Music, nos Estados Unidos, e no Centre des Musiques Didier Lockwood, escola do violinista francês, uma lenda do violino jazz.

De volta ao Brasil desde 2010, Herz tem participado de muitos projetos e colaborado com músicos e se apresentando como solista com orquestras de todo o país, como Yamandú Costa, Dominguinhos, Nelson Ayres, Proveta, Orquestra Jazz Sinfônica, Orquestra Sinfonica de João Pessoa, Orquestra Municipal de Jundiaí, Grupos de Referência do Projeto Guri, Orquestra Filarmônica de Violas, Orquestra Breusil entre outros.

Herz tem dez albúns lançados. Além dos dois do Ricardo Herz Trio  e dois gravados solo, Herz gravou diversos CDs em duo: com o vibrafonista Antonio Loureiro, com Samuca do Acordeon, com o pianista, maestro e arranjador Nelson Ayres e com Yamandú Costa. Em 2019, Ricardo lançou seu décimo trabalho: Nova Música Brasileira para Cordas, este com a orquestra feminina de cordas cubana Camerata Romeu.

Ricardo tem realizado diversas lives e gravado vídeos em duo com a violinista e rabequeira Vanille Goovaerts, sua companheira, com quem tem um duo desde 2019.
Ricardo também tem dedicado parte de seu tempo no ensino e difusão do violino popular , tendo ministrado diversos cursos em festivais e recentemente lançou o primeiro método online de violino popular brasileiro.

“(…) o disco disputa seriamente como um dos melhores lançamentos instrumentais brasileiros do ano”

Irineu Franco Perpétuo – Guia da Folha – Folha de São Paulo – 28/07/12

img_5459-ok

“(…) o disco disputa seriamente como um dos melhores lançamentos instrumentais brasileiros do ano”

Irineu Franco Perpétuo
Guia da Folha – Folha de São Paulo – 28/07/12

sddefault

“Cheio de sensibilidade e virtuosismo, swing e lirismo, Ricardo Herz está colocando os ‘pingos nos is’ na história do violino popular no Brasil! Tudo com muita musicalidade e a característica mais marcante em sua personalidade quando sobe ao palco: carisma! Sucesso de público e crítica”

Hamilton de Holanda

maxresdefault

“Ricardo é desses moços que melhor toca ultimamente, toca pra valer. É um ótimo incentivo para a música brasileira, ainda mais por que, além de ser um excelente músico, tem um ‘molho’ único tocando violino no forró.”

Dominguinhos

1_cd_2908_2210_l_33_cor-6829403

“Violino Popular Brasileiro é um título mais do que perfeito para o CD do Ricardo Herz. Com uma técnica apurada, passa por baião, forró (às vezes como se fosse rabeca), sambas, chorinhos e canções com autoridade e intimidade absolutas de quem conhece, de fato, o Brasil.”

Edu Lobo

“É de se espantar que o riquíssimo universo músical brasileiro poucas vezes tenha gerado grandes especialistas no violino, instrumento versátil e central na história do ocidente. É também de se espantar, por outro lado, que, mesmo sem uma longa tradição às suas costas, tenha surgido aqui um dos maiores violinistas da música popular mundial, o paulistano Ricardo Herz”

André Domingues – Diário do Comércio – SP- pag 24 – 26/06/12

“A música brasileira, sua especialidade, está aqui magnificamente representada com originalidade graças a seu grande talento de violinista”

Didier Lockwood